[Resenha] A Garota do Calendário – Janeiro, por Audrey Carlan

Image and video hosting by TinyPic A Garota do Calendário – Janeiro
Autora: Audrey Carlan
Editora: Verus, 2016
Traduzido por: Andréia Barboza
Título original: Calendar girl – January
Nº de Páginas: 144 páginas

» RESENHA «
Mia Saunders, desacreditada no amor devido as suas quatro tentativas frustradas de namoro e aspirante a atriz, precisa de dinheiro (só 1 milhão de dólares) para pagar um agiota que emprestou muito dinheiro para seu pai que não tem como pagá-lo e agora ameaça sua família, ela, seu pai, e sua irmã, para conseguir o dinheiro.

Eis que tia Millie, cunhada do pai, surge com uma opção perfeita para seu problema: trabalhar como acompanhante de luxo para sua empresa Exquisite Acompanhantes de Luxo durante um ano, recebendo, por mês, 100 mil dólares. Por que é a opção perfeita? Ela ganharia dinheiro suficiente para pagar a dívida herdada de seu pai e ainda conheceria 12 homens sem precisar se preocupar em se apaixonar. Haveria sexo e somente sexo se ela quisesse, além de poder praticar suas habilidades em atuação, claro. Pra quem não sabe a diferença entre prostituta e acompanhante: o objetivo de uma prostituta é satisfazer o cliente apenas sexualmente enquanto que uma acompanhante tem como objetivo satisfazer qualquer pedido do cliente, seja ele sexual ou não. E na Exquisite Acompanhantes de Luxo, as mulheres só satisfaziam o cliente sexualmente se estivessem de acordo, o sexo não estava no contrato. Portanto, as acompanhantes poderiam exerciam as funções de namoradas, irmãs, primas, noivas ou até mesmo amigas com seus clientes.

Mas aí o primeiro cliente aparece em Janeiro: cabelo loiro, olhos verdes e insuportavelmente lindo (entendam lindo como quiserem, é subjetivo, tá liberado! kkkk). Weston Charles Channing III. Só pelo nome me apaixonei. Surfista, roteirista de filmes, Wes, juntamente com sua mãe Claire, contrata Mia para acompanhá-lo a eventos como sua namorada para afastar as mulheres que ficam atrás dele por interesse e acabam gastando seu tempo com conversas fúteis enquanto ele deveria estar em contato com as pessoas importantes na sua área profissional (produtores, atores, diretores, etc.).

Durante 24 dias então, eles vão a eventos juntos, passam um domingo com a família de Wes, surfam juntos e fazem muito sexo. Weston estipula 4 regras antes de ficar com Mia: fazer uma quantidade insana de sexo durante o tempo que eles têm juntos; ser monogâmicos enquanto isso; nunca dormir na mesma cama; e, por fim, nunca se apaixonar. Clichê, não? Muito. E como diz o ditado, “nunca diga nunca”, Wes acaba se apaixonando por Mia e não quer que ela vá embora. Porém, a jornada dela está apenas começando e ela precisa continuar. Mesmo que Wes seja importante pra ela, Mia acredita que se for pra eles ficarem juntos, quando tudo acabar, ela voltará para ele.

Deixando uma carta de despedida, Mia parte para seu próximo cliente em Fevereiro.

Preciso fazer uma confissão! Comecei a ler essa série pelo quinto livro, Maio. Não me julguem! kkkk Ameeeei o livro. Achei que fosse ficar perdida ou ganhar vários spoilers mas não foi o que aconteceu porque a autora, Audrey Carlan, em todos os livros nos lembra da missão de Mia e sua importância. Então, para aqueles que não tem TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), ou não são virgianos kkkkk, super apoio a leitura sem ser sequenciada.

Anúncios

3 comentários sobre “[Resenha] A Garota do Calendário – Janeiro, por Audrey Carlan

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s