[Resenha] Cilada Para Um Marquês, por Sarah MacLean

1390-20160812175154Título: Cilada para um marquês
Série: Escândalos e Canalhas, 1
Autora: Sarah MacLean
Editora: Gutenberg, 2016
319 páginas

*Sinopse*
Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares.

Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela.

No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço.

O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada?

Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam…

¤ RESENHA ¤
Bom, minha gente, pra começar tenho que admitir pra vocês que o canalha dessa história empolgante não é tão canalha assim. E vocês vão descobrir o porquê lendo o livro, claro!!! Mas vou deixar que vocês sintam o gostinho do drama com essa resenha.

Lady Sophie Talbot é a irmã mais nova das irmãs Talbot conhecidas como as Irmãs Perigosas que ficam a espreita esperando um momento para arranjar um escândalo e prender algum aristocrata através de um casamento. Isso não passa de um preconceito da Sociedade devido ao fato de que o pai delas, Jack Talbot, o Conde de Wight, ganhou seu título em um jogo de cartas pelas mãos do então príncipe. Jack trabalha com carvão e ganha dinheiro através dos investimentos que os aristocratas fazem. Mas antes de se tornar conde ele já era considerado rico pelos resultados de seu trabalho. Lembrando, galera, que a história se passa em 1833 e a revolução industrial na Inglaterra continua ganhando força desde o fim do século XVIII. Entretanto, a aristocracia vê a família Talbot como alpinistas sociais e mesmo com o título não a consideram iguais em superioridade.

Agora, vocês imaginem estar em uma festa e as pessoas ficarem olhando pra você e fazendo comentários nada educados. Não é uma situação em que eu gostaria de estar assim como Sophie não gostaria. Então, é exatamente em uma festa oferecida pela Condessa de Liverpool que Sophie, considerada a irmã menos interessante, a desdivertida (Criaram até uma palavra para caracterizar ela, viram?), se encontra como personagem principal de um escândalo. Sophie empurra o Conde de Haven, marido de sua irmã mais velha Seraphina, em tanque de peixes por ela ter presenciado uma cena em  que ele desrespeitava a irmã. Entretanto, ela não reparou que todos os convidados estavam observando os seus atos. Aproveitando a oportunidades e o sangue quente, Sophie resolve falar umas verdades literalmente na cara da Sociedade. E foge da festa com o silêncio dos convidados.

Do lado de fora, ela se vê sem opções para voltar pra casa porque seu orgulho não quer que ela volte na carruagem dos pais. Nesse instante de indecisão, um homem desce jogando roupas e um par de botas (uma delas quase bate na cabeça de Sophie) pela janela de um dos cômodos da Mansão Liverpool. Ele para em frente a Sophie e ela reconhece o homem como o Marquês de Eversley, colocando de volta as roupas e as botas. Entretanto, uma das botas está nas mãos de Lady Sophie e ele se demora esperando que ela a devolva para ele. Daí surge uma ideia brilhante pra não dizer louca na cabeça de Sophie: pedir uma carona em sua carruagem ao marquês em troca da bota. Porém, o marquês sabe que ela é uma das Irmãs Perigosas e acha que ela pode estar criando uma cilada para comprometê-lo. Por isso, ele recusa a negociação e vai embora sem uma das botas em direção a sua carruagem.

Sem saída, Sophie se vê desesperada. E situações desesperadas pedem medidas desesperadas. Já que a negociação com o marquês não deu certo, ela tenta negociar com o criado do marquês. Eu já disse que Lady Sophie é boa de papo? Então, ela é muito boa. Sagaz, eu diria. Ela consegue a confiança do criado chamado Matthew com dinheiro e ele dá suas roupas de criado para ela. Acontece isso mesmo que vocês estão pensando. Sophie se disfarça de criado do marquês para que possa ir na carruagem e assim chegar em casa, pegar dinheiro e fugir para o campo para recomeçar sua vida. Para evitar ser descoberta, ela recusa o convite do cocheiro para se sentar lá na frente com ele na boleia e resolve ir na parte de trás da carruagem, em pé no suporte traseiro. Seria perfeito se o plano dela não fosse por água abaixo quando ela descobre que a carruagem não está seguindo em direção a Mayfair onde ela mora.

“Ali atrás, ela não percebeu quando a carruagem chegou ao fim do comprido caminho da Mansão Liverpool e virou à esquerda, em vez de à direita. Ela também não percebeu que a paisagem que passava se tornou mais pastoral. Ela apenas inspirou profundamente várias vezes um ar que seu pai teria chamado de “um belo ar puro”, e se sentiu – pela primeira vez desde que ela e suas irmãs foram empacotadas e transportadas para Londres – muito livre.”

E agora? Qual será o destino da carruagem? O que ela fará quando o marquês descobrir seu disfarce? O que o destino guarda para sua vida?

Como diz Lisa Kleypas: “Eu recomendo qualquer coisa da autora Sarah MacLean”. Eu também. Esse foi o segundo livro da autora que eu li. E gostei muito da escrita dela e dos personagens que ela cria. A diagramação de Cilada para um marquês faz com que a história tenha  um quê de mistério por apresentar uma manchete de jornal na abertura de cada capítulo e fazer com que você fique ansiosa pra descobrir o porquê daquela manchete. Já ansiosa pela publicação do segundo volume da série Escândalos e Canalhas. Mais um romance de época maravilhoso!

Desejo uma boa leitura àqueles e àquelas que se aventurarem nessa história! Vale muito a pena!! 🙂

Anúncios

4 comentários sobre “[Resenha] Cilada Para Um Marquês, por Sarah MacLean

    • Olá, Isa!! Tudo ótimo!! Me apaixonei pelo gênero e não largo mais kkkkk Julia Quinn e Jane Austen são minhas divas literárias estrangeiras. Você também precisa conhecer Lisa Kleypas e Tessa Dare. São maravilhosas e te fazem rir bastante. Outlander? Minha meta de leitura desse ano com certeza! kkkk Obrigada pela mensagem!! Bjos 🙂

      Curtido por 1 pessoa

      • Outlander é maravilhoso! Só tenho elogios e amo muito! Adorei as dicas e tentarei ler os outros romances de época! Mas depois de Julia Quinn rs Jane Austen está nas minhas metas de 2017! rs
        Beijos

        Curtido por 1 pessoa

  1. Pingback: [Resenha] Amor para um escocês, por Sarah MacLean | Blog Não Leia!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s