[Resenha] Pérola na Areia, por Tessa Afshar

Olá leitores amados

Hoje temos uma resenha que com certeza vai mexer muito com vocês, assim como mexeu comigo. Como se trata de um livro que fala muito de religião, prostituição e família, busquei saber mais sobre a escritora Tessa Afshar e descobri que ela é autora de outros livros como a série Harvest, que conta a história de Sarah, uma mulher que pertenceu a um cargo importante no Império Persa em 500AC. 

Mas não estou aqui para falar de Sarah, e sim de Raabe. Vamos conhecer essa história e saber o que eu achei? 

Image and video hosting by TinyPic

¤ SINOPSE ¤
Como uma gentia, marcada por um passado arruinado e de má reputação, pode fazer parte da linhagem de Cristo e se tornar símbolo de fé autêntica e irrepreensível diante de Deus? Seria possível.  (…)

Pérola na Areia o conduz a uma incrível e emocionante jornada pela história de uma gentia, que, em meio a uma nação pagã destruída, teve a vida poupada como fruto de sua fé sincera. Vemos, também, que Salmom — um grande homem de fé, influente líder de Judá estimado em toda Israel e inimigo dos gentios — fará Raabe redescobrir um sentimento intenso e conflitante que começará em seu próprio coração.

Descubra como uma gentia alcançou tal graça diante de Deus e fez parte da genealogia de Cristo.

¤ RESENHA ¤
O começo da história se passa em um momento muito árduo de seca em Canaã (atual Israel) e a relação das famílias com os deuses que são “destinados” a enviar água para molhar as terras, que são a única forma de subsistência da maioria das famílias. E, sem a cooperação desses deuses, não há outra saída em Raabe se tornar prostituta. Por incrível que pareça, quem propôs essa “nova função” foi o pai da menina de 15 anos.

           Se tornando principal fonte de renda da família, Raabe acaba tendo clientes importantes e contínuos, apesar de não ser muitos devido à seca que assolou muitas famílias e muitos homens deixaram de frequentar os pontos de prostituição (confesso que me assustou o fato da própria família de uma adolescente coloca-la na prostituição, mas pesquisando as “práticas” da época, descobri que era comum, e que muitas famílias faziam isso).

        Apesar de, hoje, muitos acharem a prostituição algo vergonhoso, naquela época era uma das únicas formas de saber mais sobre o mundo fora da própria Jericó. E, por meio de um dos clientes, que ela descobre a respeito de homens do Egito que eram escravizados e que ao atravessarem o mar Vermelho, as águas foram divididas ao meio e o povoado passou a ser abençoado por aquele Deus que tinha tanto zelo pelos moradores.

“Você não entende que Deus olha para você assim como você olha para essa joia delicada? Só que ele o faz com mais ternura e alegria.”

          Raabe ficou completamente fascinada pelo acontecimento, sempre comparando o seu Deus que havia abandonado suas terras, com aquele Deus que dava fartura e cuidado com o povo. E, em um dia como outro qualquer, próximo ao portão da cidade, dois homens com a mesma descrição dita pelo cliente apareceram e sem pensar duas vezes (ou melhor, sem pensar), a menina acolheu os homens, descobrindo que estavam ali para espiar a cidade antes de fazerem um grande ataque.

      Ao saber do ataque, muitos questionamentos cercavam Raabe, pois não sabia o que fazer. Seria melhor tirar sua família de lá? Contar o que havia descoberto para o povoado? NÃO! Apenas permanecer sã e acreditando que as coisas dariam certo e que tudo ficaria bem.

        A história estava muito bacana até este ponto, mas eu não consegui entender POR QUÊ ela achou que ficaria tudo bem e que não precisava levar a família embora. Sério, a escritora deixou muito a desejar desse quesito. Ao decorrer da leitura você descobre o que aconteceu, mas as coisas começaram a ficar desconexas.

          Num geral eu gostei do livro sim, apesar de sempre exaltarem muito a religião – claro, pois o livro é religioso, mas poderia ser mais moderado. Para todos que conhecem a história de Raabe, com certeza é um livro que indico pois constrói uma história toda além do que já é escrito e conhecido por todos. Algo que me atrapalhou bastante foi o fato do livro ser em folhas brancas, o que me custou a continuar a leitura mas eu consegui e curti!

Avaliação: ♥ ♥ ♥ ♥

Postado por: Paulinha C.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s